Oncology

Oncology

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O "SUS" da Inglaterra decidiu não cobrir BEVACIZUMABE, SORAFENIBE, SUNITINIBE E TENSIROLIMUS.

24 de novembro de 2009 - No Reino Unido, o National Health Service (NHS) que seria o ministério da saúde inglês, responsável pelo SUS de lá,  decidiu não fazer mais 2 medicamentos disponíveis para o tratamento do câncer por causa do custo.
Desta vez, o machado caiu sobre sorafenib (Nexavar) para câncer de fígado e bevacizumab(Avastin) para câncer colorretal metastático.


O uso dessas drogas para essas indicações não é rentável, de acordo com o National Institute for Health and Clinical Excellence (NICE).

Entre outras drogas consideradas não rentáveis estão 4 produtos para o câncer de células renais, o que causou protestos de oncologistas britânicos quando foi anunciado no ano passado. Os 4 medicamentos são bevacizumab, sorafenib, sunitinib (Sutent) e temsirolimus.



A decisão sobre sorafenib, divulgada na semana passada, observou que a estimativa de custo mais baixo foi 52.600 £ por qualidade de vida ajustados (QALY) , que é substancialmente superior ao máximo de 30.000 libras (aproximadamente R$ 84.000 por ano) fixado pelo NICE como "uso custo-efetivo dos recursos do NHS. " Esta decisão, e uma avaliação final, é publicada em detalhes no site da NICE.



Uma decisão semelhante ocorreu esta semana para o uso do bevacizumab em câncer colorretal metastático. Desta vez, o custo da droga foi calculado em £ 36.000 por QALY. No entanto, esta decisão é preliminar, e o fabricante, a Roche, disse que continuará a trabalhar com NICE para tornar a droga disponível. A empresa já oferece um esquema para diminuir o custo do tratamento para uma estimativa de custo inicial de £ 62.000 (R$ 173.600,00) por QALY, segundo a imprensa.



Ambas as decisões geraram manchetes sobre pacientes com câncer tendo negado seu direito de prolongar a vida. Uma crítica veio do proeminente oncologista Karol Sikora, MD, diretor médico da Cancer Parceiros do Reino Unido e um ex-chefe da Organização Mundial da Saúde Cancer Program. Escrevendo no Daily Mail online após o veredito do sorafenib, Ele disse que, "como um oncologista, a presente decisão é desalentadora."



"Os médicos, como eu, agora serão colocados em uma situação horrível", ele escreve.



"É nosso dever ético de dizer aos pacientes que esta droga é uma das formas mais avançadas de lidar com câncer de fígado. Mas então vamos ter que deixar as suas esperanças na mão, explicando que ele não está disponível no NHS", disse ele.



"Isso não é maneira de tratar as pessoas quando elas estão lutando para lidar com uma doença fatal. Sem esperança, o seu dia final será ainda mais angustiante", diz Sikora.



No entanto, existem outras opiniões, como comentários sobre os custos tipo "as vastas quantidades de dinheiro gastas em estender a vida das pessoas que vão morrer", seriam despesas fúteis. Dr. Sikora, diz que os efeitos do sorafenib no câncer de fígado são "impressionantes". Desde que foi introduzido no mercado, ela tem prolongado a vida de pacientes com câncer de fígado por uma média de 3 meses -, mas ele enfatiza que esta é apenas uma média,  alguns pacientes não tiveram nenhum ganho, enquanto outros ganharam 2-3 anos.

Ele também salienta que a decisão britânica sobre sorafenib coloca "irremediavelmente fora de compasso com o resto da Europa", porque todos os outros países da União Européia disponibilizam a droga em sistemas de seguros privados ou estatais.


"Estou absolutamente convicto de que todos os pacientes devem ser tratados de forma igual", diz ele, e "não deve estar sujeita a caprichos da moda política".



Zosia Chustecka não revelou relações financeiras relevantes.
http://www.medscape.com/viewarticle/712971

Nenhum comentário:

Postar um comentário